Como criar um projeto de segurança colaborativa?

Com a insegurança das grandes cidades, as ferramentas disponíveis para proteger as pessoas e os patrimônios e aumentar a segurança nos bairros acabam se tornando essenciais. Nesse sentido, uma solução interessante é contar com a segurança colaborativa, que costuma reunir serviços de segurança privada a ações de integração entre moradores para ampliar a segurança nos bairros.

Por isso, neste post, mostramos como criar um projeto de segurança colaborativa para o seu bairro. Confira!

Diagnóstico da região

A elaboração de qualquer projeto deve sempre passar primeiro pela etapa de diagnóstico. Por isso, o primeiro passo para criar um projeto de segurança colaborativa é o reconhecimento do bairro e da vizinhança em que esse projeto será implementado. 

Para realizar esse diagnóstico, é preciso levar em consideração a área a ser monitorada, as queixas dos moradores, o perfil das pessoas que circulam pela região e a infraestrutura já existente. Também é importante reconhecer a urgência dos moradores, para compreender o tempo disponível para elaboração e implementação do projeto de segurança colaborativa.

Dessa forma, o diagnóstico precisa mapear as vulnerabilidades da região, apontando os pontos mais vulneráveis e os pontos mais seguros, para que, a partir dessas informações, possa ser criado um projeto de segurança colaborativa que atenda às demandas dos moradores e de fato torne o bairro mais seguro.

Se o bairro já tiver uma associação de moradores, esse diagnóstico será realizado mais facilmente, pois a reunião de informações poderá ser concentrada na associação. E se seu bairro ainda não tem uma associação de moradores, confira aqui como criar uma!

Planejamento tático e operacional

Com as informações em mãos, coletadas na etapa de diagnóstico, a etapa seguinte é a elaboração de um planejamento tático e operacional para o projeto de segurança colaborativa. Isso significa estabelecer objetivos e metas que protejam os pontos vulneráveis e atendam às demandas dos moradores.

Para realizar esse planejamento, é importante levar em consideração os equipamentos a serem instalados ou conectados à rede, os serviços a serem prestados, a forma de comunicação a ser utilizada entre os moradores, os profissionais que serão necessários para garantir a segurança do bairro e o meio que será utilizado pelos moradores para contatar a empresa de segurança, as autoridades e os outros moradores.

Isso significa que, na hora de elaborar o planejamento, é preciso considerar se será necessário instalar câmeras de segurança, ou se será suficiente conectar as câmeras já existentes a um servidor em nuvem, por exemplo. Também será importante considerar se a comunicação entre os moradores será feita por grupos de redes sociais ou se o bairro contará com um aplicativo de segurança para operacionalizar todo o projeto de segurança colaborativa. 

Essas e outras questões que são consideradas na etapa de planejamento precisam também ser apresentadas aos moradores e alinhadas com eles, para que de fato atendam às necessidades deles e estejam de acordo com o orçamento disponível para isso.

projeto de segurança colaborativa

Segurança colaborativa em prática

Uma vez instalados os equipamentos necessários, definidos os meios de comunicação e implementadas as medidas que fazem parte do projeto de segurança colaborativa, é o momento de colocar em prática os pontos apresentados no projeto. E para isso, é preciso mais do que ligar câmeras ou fornecer acesso às imagens.

A segurança colaborativa, para ser eficaz, demanda o envolvimento efetivo dos habitantes do bairro. Isso porque ela tem como princípio o cuidado constante dos moradores em relação a seu bairro e a comunicação clara e constante entre eles. Não adianta ter acesso às imagens das câmeras de segurança se o morador não comunicar movimentações estranhas que observar nessas imagens, por exemplo.

Por isso, colocar em prática um projeto de segurança colaborativa envolve também a realização de ações para integrar os moradores, envolvendo-os na realização do projeto. É preciso promover ações de conscientização sobre a importância da segurança colaborativa e fazer com que os moradores saibam utilizar corretamente as ferramentas disponíveis para eles. 

Acompanhamento das ações propostas e manutenção de equipamentos

Todo bom projeto de segurança colaborativa precisa levar em consideração também maneiras de acompanhar o desempenho das ações propostas e de garantir a manutenção preventiva dos equipamentos utilizados. É isso o que garante o bom desempenho do projeto a longo prazo.

Para isso, é importante estabelecer métricas e pontos de análise relacionados à segurança no bairro e à efetividade das ações, avaliando indicadores como números de assaltos e percepção dos moradores. É imprescindível, também, realizar manutenções preventivas de acordo com os equipamentos de segurança utilizados, a fim de aumentar a vida útil deles e garantir seu bom funcionamento. 

Se você precisa montar um projeto de segurança colaborativa para seu bairro, entre em contato com a gente agora mesmo! E para conhecer outras formas de deixar seu bairro mais seguro, acompanhe nosso blog!