A segurança de crianças é uma das preocupações de muitos pais e familiares. Por serem menores, muitas vezes mais distraídos e sem tanta noção dos perigos e da violência, os filhos ficam mais suscetíveis a sofrer assaltos. Para protegê-los, cabe aos pais ensiná-los alguns cuidados básicos e manter o diálogo sempre aberto para prevenir que sejam vítimas de qualquer ameaça.

A fim de ajudá-lo nessa tarefa, confira 4 dicas para colocar em prática e afastar os riscos de assalto! 

1. Oriente a criança para os riscos ao andar na rua

Crianças pequenas não costumam andar sozinhas, mas, mesmo acompanhadas dos pais, elas correm o risco de serem assaltadas. Não deixe que andem com itens à mostra, como celulares e tablets, mesmo em pequenos trajetos.

Na chegada e saída da escola, muitos pais aguardam dentro do carro enquanto os filhos percorrem a pé um pequeno trajeto. A orientação é que se leve a criança até a entrada e espere a saída dela logo ao lado do portão da unidade de ensino. Os pequenos tendem a caminhar distraídos, ficando sujeitos à ação de assaltantes.

Para quem tem filhos maiores que costumam andar sozinhos na rua, a orientação é ensiná-los a sempre olhar em volta e, ao avistar algo suspeito, entrar em algum comércio para se proteger. Em caso de perigo, procurar por policiais ou por um telefone público para ligar para os pais.

2. Mantenha cuidados no carro e no ônibus

Assaltos às pessoas que estão no carro e o próprio roubo do automóvel também são crimes que expõem a criança e os pais. Nesse caso, mantenha as portas trancadas e vidros fechados, acionando a trava de segurança para crianças. Em caso de problemas no veículo, pare em locais seguros e movimentados, pois alguns assaltantes usam o artifício de estourar o pneu para fazer o carro parar.

Na hora de colocar seu filho na cadeirinha, sempre olhe em volta antes de se concentrar em prendê-lo no banco, pois os bandidos podem aproveitar a sua distração para agir. Se não sentir segurança, fique dentro do veículo trancado enquanto prende seu filho na cadeirinha. No ônibus, oriente as crianças a manter os pertences na parte da frente do corpo e não deixe que fiquem com o celular na mão.

3. Proteja a criança de crimes virtuais

Os crimes virtuais são grandes preocupações dos pais e a melhor forma de proteger os filhos é com um controle do acesso deles à Internet. Utilize as ferramentas de filtros parentais nos aparelhos para limitar a navegação da criança.

Crianças não precisam participar de redes sociais, mas, caso insistam, e você queira permitir, tenha a senha e total controle, deixando claro que é pela segurança dela. De toda forma, o melhor jeito de protegê-la de crimes virtuais é com educação e orientação.

Ensine-as a não publicar dados pessoais, não confiar em pessoas que conheceram pela Internet e avisar sempre que alguém falar algo inadequado (como pedir uma foto mostrando o corpo). Mantenha o diálogo sobre o assunto aberto, para que ela entenda que os pais só querem o bem.

4. Aprenda e ensine-as a como agir no perigo

Apesar de todos os cuidados, pode acontecer alguma situação de assalto — e a primeira dica é não reagir. Mesmo que pareça impossível manter a calma, se você estiver com seu filho, isso é muito mais importante. Faça tudo que o bandido pedir e oriente seu filho a obedecê-lo também.

Tente falar com a voz o mais calma possível, pois isso passará melhor sensação de segurança para a criança. Caso ela chore, peça ao bandido para segurá-la. Mostre ao seu filho que você está com ele e que sairão dessa juntos.

Em casa, ensine as crianças a nunca reagir e sempre entregar os itens que o bandido pedir. Não correr, nem gritar e, assim que ele for embora, procurar um telefone público ou uma autoridade para ligar para os pais.

Se os pais pudessem, protegeriam os filhos de todos os tipos de violência, mas, nem sempre é possível. Para melhorar a segurança de crianças, alguns cuidados, muita conversa e bastante orientação podem prevenir as situações de perigo. E você, como busca proteger seus filhos? Comente no post a sua experiência!